Funed recebe R$ 28 milhões para estruturação de fábrica para apoiar desenvolvimento de vacina contra a covid-19

O Governo do Estado de Minas Gerais anunciou um investimento de R$ 28 milhões na Fundação Ezequiel Dias (Funed). O aporte será destinado às adequações da Unidade V da instituição, que viabilizarão a transição tecnológica para apoio ao desenvolvimento de vacinas, por meio da produção de lotes-piloto a serem utilizados em estudos clínicos. Esse processo é um primeiro passo para a entrega de uma vacina contra a covid-19 no futuro. O recurso é proveniente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sede), por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

De acordo com Dario Ramalho, presidente da Funed, a estruturação visa ao atendimento de requisitos regulatórios dos órgãos nacionais e internacionais que permitirão a produção de diferentes imunizantes, mas tem foco, neste momento, na produção de uma possível vacina contra a covid-19 em conjunto com o CT-vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). “Esses investimentos são importantes para que possamos efetivar parcerias entre instituições competentes como a Funed e a UFMG, desenvolvendo assim, em solo mineiro, tanto a pesquisa básica quanto seus desdobramentos. Com esse recurso, iremos preencher lacunas que hoje atrasam o desenvolvimento de iniciativas importantes para a saúde pública e para a sociedade”, avalia Dario Ramalho.

O investimento fortalece uma das frentes da Funed na busca pela produção de uma vacina mineira contra a covid-19, que é a parceria com a UFMG para a produção da Spintec. A plataforma tecnológica usada pela UFMG no desenvolvimento desse imunizante consiste na combinação de diferentes proteínas para formar uma única, artificial. Esse composto, chamado de “quimera”, é injetado no organismo em duas doses e induz à resposta imune. Por não usar exclusivamente a proteína S (spike), na qual se dá a maioria das mutações do vírus, as chances de sucesso desse imunizante no combate às novas variantes são maiores.

O presidente acrescenta ainda que esse é um momento propício para o investimento na Unidade V, pensando não somente na parceria com a UFMG como em outras iniciativas, a médio e longo prazo, no que diz respeito a doenças negligenciadas e outros agravos para a saúde pública que não são foco da iniciativa privada. “Cabe ao estado ter esse olhar diferenciado e voltado para a sociedade. Temos um objetivo imediato, que é buscar concretizar as próximas etapas da vacina do CT-vacinas, mas há também um ganho importante de estruturação, de pesquisa e desenvolvimento em Minas Gerais, viabilizando a pesquisa básica nas etapas de desenvolvimento, expertise existente na Funed que a academia, por sua vez, não detém”, reforça Dario Ramalho. Com a estruturação da Unidade V, a Fundação estadual poderá produzir lotes-piloto da vacina destinados aos estudos clínicos, em condições de boas práticas de fabricação, fundamentais para permitir a posterior produção industrial, caso haja sucesso no processo de desenvolvimento da vacina.

Além dessa unidade, a Funed já conta com um laboratório de Desenvolvimento de Produtos Biológicos e com equipe especializada em assuntos regulatórios e de garantia da qualidade, que será responsável pela validação dos processos produtivos dos lotes de acordo com as regulações vigentes. De acordo com o diretor industrial da Fundação, Bruno Pereira, as ações a serem desempenhadas por essas áreas também serão beneficiadas com esse investimento, pois permitirá a otimização das estruturas disponíveis, o que vai acelerar as etapas de desenvolvimento e validação de processos. “Essas áreas serão estruturadas para o desenvolvimento de processos por meio da aquisição de equipamentos. Também conseguiremos contratar serviços para habilitar a estrutura para a transposição de escala e validação de processos”, afirma Bruno.

Produções futuras

É importante ressaltar que as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se aplicam a todos os produtos biológicos, o que significa que, uma vez adquiridos os equipamentos e cumpridas as etapas para o preenchimento das lacunas atuais nas linhas produtivas e recebidos os investimentos nas áreas de apoio, a mesma estrutura poderá ser utilizada para o escalonamento e produção de outros produtos biológicos.

 

Fonte: FUNED