Farmanguinhos – Produção estratégica durante a pandemia

Neste ano desafiador, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) ratificou a importância da atuação de mais de 40 anos voltados para a saúde pública brasileira. A instituição forneceu 398.331.930 unidades farmacêuticas, realizou novas alianças internacionais e concluiu importantes etapas das Parcerias de Desenvolvimento Produtivo (PDP) para a inclusão de novos medicamentos no Sistema Único de Saúde (SUS).

Desde março de 2020, quando foi iniciado o Plano de Contingência em Farmanguinhos, o Instituto não mediu esforços para atender as demandas do Ministério da Saúde e produziu 14 medicamentos de diferentes classes terapêuticas, dentre as quais, antimaláricos, antirretrovirais, antiparkinsoniano, imunossupressor, antivirais, tuberculostático, e outros considerados essenciais para a manutenção da vida de milhares de pacientes.

Durante o ano, o Instituto produziu 14 medicamentos de diferentes classes terapêuticas

Neste período, foi iniciada a produção do primeiro medicamento genérico do país para pacientes com infecção crônica do fígado, causada pelo vírus da hepatite B (VHB), o Entecavir 0,5 mg. Este antiviral é resultado de uma cooperação com a Fundação Ezequiel Dias (Funed), realizada em 2019, que define Farmanguinhos como local de fabricação e a Funed pelo fornecimento. O Instituto já enviou os primeiros lotes, com mais de 670 mil comprimidos revestidos. No total, até o final de 2020, serão entregues 5,95 milhões de unidades farmacêuticas.

Farmanguinhos concluiu ainda a fabricação dos lotes-piloto de mais um antirretroviral internalizado, o Atazanavir, para fins de inclusão da unidade como local de fabricação deste importante medicamento. A produção pública foi viabilizada por uma PDP entre o Instituto e o laboratório americano Bristol Myers Squibb. Com isso, o Instituto poderá executar todo o processo produtivo no CTM. Para se ter uma ideia da relevância que a produção pública representa, a demanda para este ano é de mais de 33 milhões de unidades farmacêuticas.

Antivirais para a Covid-19 – Além de produzir medicamentos para pacientes incluídos no grupo de risco, Farmanguinhos contribuiu diretamente para enfrentamento da pandemia de Covid-19, com a produção do antiviral Oseltamivir, para ajudar no tratamento de pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave ou com Síndrome Gripal em condições de risco para complicações. O medicamento tem sido fabricado nas concentrações 75mg e 45mg para serem disponibilizadas nas campanhas de Influenza A do Ministério da Saúde. O Instituto desenvolveu ainda a concentração 30 mg a fim de estender o alcance da terapia para o público pediátrico.

Segundo o diretor Jorge Mendonça, a produção nacional torna estes medicamentos mais acessíveis aos pacientes assistidos pelo SUS.

“Desta forma, atuamos no fortalecimento do complexo industrial da saúde e desenvolvemos e internalizamos tecnologias no país. Com isso, mais uma vez, o Instituto reitera a sua eficiência técnica e o seu compromisso com a qualidade e com a saúde pública em âmbito nacional, sempre atuando em promoção da qualidade de vida e do abastecimento do SUS”, assinala Jorge Mendonça.

Fonte: Farmanguinhos